O projeto "TRIBUNA DO CRETINO: produção textual crítica sobre espetáculos de teatro"  chega, em 2018, ao seu quinto ano de atividades. Desde que foi criado, ainda em fase experimental em Julho de 2013, o projeto já publicou nada menos do que 174 críticas, lançou cinco edições impressas da TRIBUNA DO CRETINO: Revista de Crítica Teatral (ISSN 2359-4926) com circulação para várias cidades do Brasil, desenvolveu várias atividades de formação voltadas ao estudo da crítica teatral  e, com isso tudo, tem proporcionado um pensamento sobre a produção teatral da cidade de Belém do Pará. 

Este novo espaço virtual substitui o antigo blog do projeto e pretende dinamizar as ações do TRIBUNA DO CRETINO, pois oferece a comunidade novas seções para compartilhamento das impressões críticas de uma montagem teatral.  A seção Palavra do Artista é um espaço criado para que os envolvidas em uma montagem teatral possam se manifestar sobre sua obra, concordando ou discordando das questões apresentadas na seção Palavra do Crítico.  A Seção Palavra do Leitor/Espectador tem o mesmo propósito sendo um espaço para que o Leitor/Espectador se manifeste concordando ou discordando do Crítico ou mesmo do Artista. E por fim a seção Palavra Tréplica é o espaço para novas refutações entre os envolvidos no debate da montagem teatral - Crítico, Artista ou Leitor/Espectador.  O desejo, portanto, é ampliar o debate e enriquecer o pensamento sobre a cena produzida em nossa cidade.   

Para os que desejam visitar o antigo blog do projeto basta acessar este link https://tribunadocretino.blogspot.com.br/ e poderá conferir tudo o que foi produzido antes de inaugurarmos esta nova plataforma virtual. 

O nome do projeto é uma homenagem ao genial dramaturgo brasileiro, Nelson Rodrigues, que numa de suas inúmeras tiradas de efeito afirma: "Ao cretino fundamental, nem água!". É o que este projeto deseja: - Que morram secos todos os cretinos fundamentais da atualidade!.  

Ao contrário da trágica narrativa neoliberal que se expressa, sem nenhum pudor, pela premissa "A economia não pode parar", as críticas teatrais publicadas aqui, no Tribuna do Cretino, pararam em 2020.